1. emkinkade:

    Tile 7, San Antonio project

    (via vinculum-mastery)

     
  2.  
  3. Hayao Miyazaki on life

    (Source: mexq, via virrals)

     

  4. Controvérsias

    Não há nada que possa ser feito

    para que a dor em meu peito

    amenize ou acabe.

    E não há nada que possa ser feito

    para que o amor em meu peito

    amenize ou acabe.

    (Source: sabadoazul, via earthquakeofthoughts)

     
  5. angrywhistler:

    Luke Kopycinski

    (Source: creepmachine.com, via vinculum-mastery)

     
  6.  

  7. "Silêncio
    Assim como do fundo da música
    brota uma nota
    que enquanto vibra cresce e se adelgaça
    até que noutra música emudece,
    brota do fundo do silêncio
    outro silêncio, aguda torre, espada,
    e sobe e cresce e nos suspende
    e enquanto sobe caem
    recordações, esperanças,
    as pequenas mentiras e as grandes,
    e queremos gritar e na garganta
    o grito se desvanece:
    desembocamos no silêncio
    onde os silêncios emudecem."
    — Octavio Paz, no livro “Liberdade sob palavra” - [tradução: Luis Pignatelli]

    (Source: temploculturaldelfos, via quantoestvita)

     
  8. i-stole-the-clouds:

    Art detail 006: Vincent Van Gogh - Starry Night Over the Rhone

    (via earthquakeofthoughts)

     

  9. a luz se põe

    em cada átomo do universo
    noite absoluta
    desse mal a gente adoece
    como se cada átomo doesse
    como se fosse esta a última luta

    o estilo desta dor
    é clássico
    dói nos lugares certos
    sem deixar rastos
    dói longe dói perto
    sem deixar restos
    dói nos himalaias, nos interstícios
    e nos países baixos

    uma dor que goza
    como se doer fosse poesia
    já que tudo mais é prosa.

    Paulo Leminski

    (Source: eu-sem-poesia, via amareamarildo)

     
  10. (Source: sashatattooing, via 2-barcos)

     
  11.  
  12.  

  13. Sobre a vida (de novo)

    Entre o choro por atenção e o sorriso por um like.

    Sabe como é, a vida perfeita

    (Source: spsom)

     
  14. inheadswake:

    Dear old friend ..

    (via andrewpatrick)

     

  15. Quatro paredes com olhos de sangue

    Rosto riscado, seio caído, um corpo tímido no canto
    Cabelo molhado, pés medrosos, mãos remotas, braços de gigante
    Bombas de sal e pilares de areia
    Vermes abrindo uma ferida
    Ausência roendo a retina.

    Baratas no ralo do banheiro.

    - antologico

    (Source: antologicos, via amareamarildo)